sábado, 17 de maio de 2014

CANTANDO A ILHA: DOIS DUENDES BORDANDO PALAVRAS

 

Autoria: MOSQUEIRO VÍRGULA (com Daniel Silva)



Faltavam 43 minutos para as 18 horas, a maré já vazava. Saí de “bobeira” para passear na praia do São Francisco, próximo à ‘”Passagem das Cobras”. Na verdade eu queria sentir o vento, que sopra como se fosse nos beijar... Essa Praia é encantadora; se você fixar um olhar perdido no horizonte, vai ver sua alma debruçada aos seus pés fazendo você lembrar a sua mais doce paixão... Você vai lembrar!

Olhem só o que o aconteceu!

Muito engraçado mesmo. Ontem, fiz um flagra. Dois duendes conversando, parecia que eles bordavam as palavras. Não deixei que eles me percebessem, peguei o celular e gravei a conversa deles... Até que eu tentei filmar mas não deu!
-- O tempo!

-- O tempo?

-- Queria era ser gente!

-- Deve ser mágico.

-- Queria ver a vida de perto... viver intensamente!

-- Mágica?

-- A vida é mágica!

-- O amor é mágico!

-- Já pensou se as pessoas se amassem? O mundo seria mais mágico!

-- Você já pensou em um mundo diferente?

-- Num mundo em que as pessoas gostassem de gente?

-- Isso!

-- Gente sem raça, gente sem gênero, gente sem pressa, gente com tempo de

sorrir, com tempo de sentir como é bom viver.

-- É... Imagino!

-- Você já pensou nisso mesmo?

-- Já, num mundo assim virtual, sem fronteiras?

-- Sim!

-- Por que... né? Parece tão distante!

-- Duas coisas!

-- Quê?

-- Acredito que as pessoas deveriam buscar e levar coisas boas.

-- Exemplos?

-- Uma palavra amiga!

-- Um gesto amigo!

-- Uma flor!

-- Um sorriso autêntico!

-- Um poema!

-- Um simples ‘bom dia’!

-- Um “importo-me com você”!

-- Um “vou cuidar de você”!

-- As pessoas sempre estão precisando de alguém. Isso parece mentira!

-- Palavras fazem bem, mais um abraço ‘ah! Um abraço’ é muito bom!

-- Verdade!

-- Sabe uma coisa? É muito fácil dizer para alguém ‘você precisa ser forte!’. Na

verdade as pessoas querem apenas um abraço. Estou mentindo?

-- Não! Não! Você tá certo!

-- Escute!

O celular tocou. Era Maria, meu grande amor; falou ‘’apenas” que me ama e desligou.... Os duendes sumiram. Foi bom. Ficou a mensagem. Incrível como banalizamos o amor!

Duendes existem em nossos corações.

image

imageimage

image

FONTE: https://www.facebook.com/profile.php?id=100007302125955&hc_location=timeline

Um comentário:

  1. Este conto é exclusivamente do Mosqueiro Vírgula.

    ResponderExcluir